O que posso fazer se meu filho estiver em más companhias?

1395
Alexander Pearson
O que posso fazer se meu filho estiver em más companhias?

Conteúdo

  • A importância das amizades
  • O que significa envelhecer
  • Quando as coisas dão errado
  • Pressão dos pares
  • O que nós, pais, podemos fazer??
  • Quando pedir ajuda?
  • Em resumo

A importância das amizades

Os amigos de nossos filhos os ajudam a estabelecer laços além da esfera familiar e permitem que eles se identifiquem com um grupo de colegas que estão passando por experiências semelhantes.

Mas às vezes nos perguntamos se esse grupo realmente ajuda nosso filho a crescer de maneira saudável ou se é um modelo de identificação inadequada. Na pior das hipóteses, nosso filho pode se cercar de amigos doentios que o manipulam, humilham ou induzem a comportamentos anti-sociais ou autodestrutivos, como o consumo de álcool, drogas ou a prática de pequenos atos criminosos..

O que significa envelhecer

No processo de maturação de nossos filhos chega um momento em que existe uma certa distância em nossas vidas, pelo menos é assim que os pais se sentem. Meninos e meninas deixam de precisar de nós quase para tudo e deixamos de ser modelos e referências obrigatórias. Eles devem terminar de construir sua personalidade e definir sua identidade, e isso deve ser feito em grande parte por eles próprios. Nesta viagem o grupo de amigos será de suma importância, que passam a se tornar companheiros de viagem. Meninos e meninas devem se testar, devem vivenciar seus desejos e conhecer seus limites, o que traz o risco e a oportunidade de crescer e fortalecer sua personalidade.

Quando as coisas dão errado

O processo de maturação apresenta altos e baixos, e a fórmula “se meu filho é mentalmente saudável e não teve problemas na infância, ele terá amigos saudáveis ​​na adolescência”, a verdade é que pode haver surpresas, talvez algo tenha se estragado e não foi percebido antes. Nestes casos, os pais não devem culpar a nós mesmos ou tentar encontrar o que falhou, temos que ir em frente e tentar ajudá-los da melhor maneira possível. Em outros casos, não há surpresas; uma família desestruturada, uma infância traumática, uma educação aberrante ou inexistente, um distúrbio infantil difícil de tratar e outras circunstâncias do passado facilmente levarão o jovem à busca de relacionamentos não saudáveis.

Pressão dos pares

Nossos filhos, principalmente na adolescência, estão sujeitos a indiscutíveis pressões do grupo, e é preciso muita força de vontade, habilidade social e segurança pessoal para dizer "não" quando necessário, para não se envolver nas situações e ações. difícil voltar mais tarde. E essa não é a única pressão que os jovens sofrem: as novas tendências sociais, a incerteza sobre o futuro e a crise de valores não ajudam nossos filhos e filhas a encontrar amizades saudáveis ​​em suas trajetórias de vida..

O que nós, pais, podemos fazer??

O primeiro é não cortar os canais de comunicação, devemos fazer com que participem de nossas atividades e decisões, respeitando seu silêncio e privacidade, valorizando seus sucessos, se interessando por seus projetos, ouvindo suas opiniões e críticas, censurando seus comportamentos negativos, mas não eles próprios.

Não vamos desqualificar seus amigos, vamos tentar conhecê-los e se possível, também seus pais, vamos fazê-los entender que continuaremos a estar ao lado deles quando precisarem de nós, vamos saber pedir perdão quando for preciso, e acima de tudo, vamos ser o modelo que permanecerá em seu interior até que você o recupere para reorientar sua vida.

Com tudo isso não queremos dizer que devamos ser pais perfeitos e exemplares, todos erramos e existem circunstâncias na vida que não podemos controlar, basta tentar conhecê-los, amá-los e ficar ao seu lado, na esperança que o destino é favorável a eles..

Quando pedir ajuda?

Se, apesar de tentar se comunicar com eles e entender seus medos e preocupações, os sinais de alerta persistem: ficam isolados ou irritáveis ​​ou violentos, muitas vezes faltam a casa ou à escola, seu desempenho escolar cai muito, ficam muito passivos e cansados ou excessivamente ativo e excitado, seu humor muda radicalmente, e suspeitamos que seus amigos estão influenciando você negativamente, então será necessário consultar um especialista em saúde mental infantil ou adolescente.

Em resumo

  • Você tem que estar interessado nas coisas deles.
  • Saiba ouvir, falar e compartilhar experiências.
  • Devemos aprender a confiar e apoiar. Desta forma, iremos promover sua autonomia e fortalecer sua autoestima.
  • É importante que continuemos transmitindo valores, estabelecendo limites e dando carinho.
  • Devemos tentar não desqualificar seus amigos, mesmo que não gostemos deles.
  • Censure seus comportamentos negativos, não eles próprios.
  • Temos controle sobre o que nossos filhos fazem, mas com respeito e distância.
  • Tenha muita paciencia.

Ainda sem comentários